PI 055 - ASSEMBLEIA - DOURADOS ONLINE

Magno foi enterrado vivo após levar marteladas e facadas em Sidrolândia

Duas pessoas foram presas após ossada ser encontrada no quintal da resid√™ncia da v√≠tima

Por Elizeu Ribeiro em 24/05/2024 às 10:42:13
Ossada foi encontrada no quinta da residência da vítima / Divulgação Polícia Civil

Ossada foi encontrada no quinta da residência da vítima / Divulgação Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu dois homens, de 19 anos, por envolvimento no assassinato do pintor Magno Fernandes Monteiro, de 42 anos, em Sidrolândia. Ele estava desaparecido desde abril do ano passado.

As prisões ocorreram na tarde desta quarta-feira (22), após uma testemunha ter encontrado os restos mortais de Magno no quintal do terreno onde ele morava.

Segundo a Polícia Civil, a testemunha foi ao quintal da resid√™ncia colher mandiocas e após cavar a terra, se assustou ao notar a presença de um objeto estranho. Ao ter conhecimento que a investigação sobre o desaparecimento de Magno estava em curso, de imediato a testemunha acionou a delegada respons√°vel pelo caso, Cynthia Gomes, que ao chegar no local constatou que se tratava de uma prov√°vel ossada humana e acionou a perícia científica.

Em seguida, os policiais civis, com apoio de policiais militares, agiram r√°pido, e foram até o trabalho do suspeito e fez a prisão dele em flagrante por ocultação de cad√°ver. Na delegacia, o suspeito confessou o crime e apontou os outros dois envolvidos no homicídio, dando detalhes da empreitada criminosa, narrando a crueldade da ação.

"Ele disse que executaram a vítima com marteladas no crânio, além de facadas no abdômen e que o enterraram ainda com vida, aos gritos, no quintal da casa em que residia", contou a delegada.

Com o nome do segundo envolvido no crime, o GOI (Grupo de Operações e Investigações) foi acionado e, com os policiais da Delegacia de Sidrolândia, fizeram o levantamento do endereço do outro suspeito, efetuando a prisão na resid√™ncia dele. Na delegacia, esse segundo envolvido também confirmou a participação no crime, dando sua versão sobre a dinâmica da execução.

O caso teve uma reviravolta h√° cerca de dois meses quando uma mulher, também investigada de participação nesse homicídio, foi até a Delegacia de Polícia registrar uma ocorr√™ncia de viol√™ncia doméstica e no registro informou que o autor, seu namorado, disse que faria com ela o mesmo que fez com a vítima, ou seja, que a mataria e enterraria o corpo no quintal da casa. A partir daí a Polícia Civil, que até então tinha como linha investigativa para o desaparecimento da vítima eventual dívida de drogas, j√° que ele era usu√°rio, corrigiu rotas e passou a ter como principal suspeito o verdadeiro autor. "Ele chegou a prestar depoimento na delegacia sobre os fatos na época, mas negou a autoria e naquele momento não realizamos sua prisão, pois não tínhamos elementos concretos para mant√™-la." Alegou a delegada Cynthia Gomes.

Com a descoberta da ossada, a Polícia Civil realizou a prisão em flagrante do autor, que mudou seu primeiro depoimento prestado na delegacia, no qual alegou não ter participação no homicídio, e dessa vez confessou o crime, descrevendo detalhadamente a ação e entregando os outros dois coautores. Dois dos tr√™s autores foram presos, estando o terceiro foragido.

Além dos coautores também foram ouvidas duas testemunhas e uma mulher, investigada por participar do homicídio prestando auxílio material. Os autores serão indiciados pelos crimes de homicídio qualificado (por motivo fútil, com emprego de meio cruel e por recursos que impediram a defesa da vítima) e por ocultação de cad√°ver.

Fonte: Top Mídia News

Comunicar erro

Coment√°rios